CONEXÕES SÃO PORTAIS CELESTES

QUE NOS TRAZEM OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO COM 

FERRAMENTAS DE PROTEÇÃO E QUE PERMITEM A NOSSA EVOLUÇÃO

PORTAL ESPIRITUAL DE YOM KIPPUR

YOM KIPPUR

Dia do Perdão

Do Rosh Hashaná ao Yom Kippur caminhamos num exercício espiritual de transformação de nossa natureza, como? Através da teshuva alcançamos o perdão. E o Perdão pode ser vivido como um sacrifício, um brit, um pacto profundo com a vida. É um olhar a vida sem máscaras, sem Bezerros. 

O perdão é um despertar, um toque, um alarme, que funciona como uma abertura no céu, através do toque do shofar. 

Construímos bezerros de ouro, nos deixamos seduzir por serpentes, diabos e satan.

É através do perdão que poderemos ser o que somos, abandonar nossos erros e compreender Aquele que nos acolhe, bendito seja Ele. 

Chegamos no Yom Kippur e com ele o Ritual de Kaparot.

Ele é realizado antes do raiar do dia. Um homem ou menino pega um galo, uma mulher ou menina, uma galinha, segura na mão, recitando a prece Benê Adam, girando a ave nove vezes sobre a cabeça. A prece continua: "Seja esta a minha expiação...". 

Nos dias de hoje utilizamos moedas no lugar das aves.

 

O DIA DO PERDÃO

Após o pecado do bezerro de ouro, Moshê (Moisés) rezou e, no dia dez do mês hebraico de Tishrei, D'us concedeu pleno perdão ao povo judeu. 

Yom Kipur é o Dia da Expiação, sobre o qual declara a Torá: "No décimo dia do sétimo mês afligirás tua alma e não trabalharás, pois neste dia, a expiação será feita para te purificar; perante D'us serás purificado de todos teus pecados." 

Esclarecendo a natureza de Yom Kipur, o Rambam escreve: "É o dia de arrependimento para todos, para o indivíduo e para a comunidade; é o tempo do perdão para Israel. Por isso todos são obrigados a se arrepender e a confessar os erros em Yom Kipur." 

O Yom Kippur é o dia de maior elevação em nossa caminhada espiritual uma energia única de misericórdia para que possamos ser UM com Ele e consigo mesmos.

Desde antes do pôr-do-sol da véspera até o completo anoitecer do dia seguinte, nos desconectamos do comer e beber; lavar-se (ao levantar-se pela manhã, é permitido lavar apenas os dedos e passá-los nos olhos); passar cremes, óleo ou maquiagem (no rosto ou no corpo); calçar sapatos (mesmo que parcialmente) de couro; e ter relações conjugais. 

Existem 5 restrições recomendadas para o Yom Kippur – comer, beber, calçar sapatos de couro, ter relações sexuais e passar óleo no nosso corpo. 

A razão é para que nossa consciência permaneça focada e nosso corpo é satisfeito através de sustento espiritual. 

Dessa forma nos mantemos no elevado nível de BINA ( sefirá da Árvore da Vida _ Entendimento) e não arrastados para baixo e presos pelas limitações físicas de nosso corpo. 

Bina é nossa conexão com à fonte da Luz ou o Infinito – o Universo Perfeito. 

Em Rosh Hashana, a lua ou o mundo físico, está oculta. A lua não se revela até o 10° dia do mês, que é o Yom Kippur. O Zohar explica que no 10° dia, a Luz de Bina retorna e ilumina a lua ( símbolo de Malchut- nosso Mundo Físico ). 

Esta escrito YOM HAKIPURIM – no plural. 

Por que? 

Porque as duas luzes iluminam juntas – a luz de Bina ( o mundo superior ) e a luz de Malchut ( mundo inferior). No Yom Kippur, a mundo, Malchut, é literalmente da luz de Bina. Nesse dia nosso mundo não é iluminado pelo Sol ( Zeir Anpin), mas pela luz de Bina – a Sefirot superior. 

 

Nos tornamos iguais à FONTE! PURO AMOR!

 

Quer saber mais? Entre em contato com a Escola para conhecer e vivenciar os Rituais de Yom Kippur.

SOBRE NÓS

Kabbalah é uma linha filosófica espiritual que irá transformar completamente a sua vida.

LOCALIZAÇÃO

51 3388-7799 | 51 99979.4345

Porto Alegre RS

contato@escoladekabbalah.com 

CONECTE-SE