KABBALAH HERMÉTICA

Alquimia parece derivar do árabe Alkimia,. AI significando o artigo o, mas a origem de Kimia não é clara. Estando associada à palavra egípcia chem (preto), relacionando-se com o Egito como "Terra do Solo Preto". Portanto, Alquimia poderia ser definida como a Arte Egípcia ou Arte Negra. Pode ainda ser derivada de chyma, do grego fundição de metais ou fusão de metais. Chyma parece derivar de cheein, derramar possuindo variantes- chymos, suco de plantas, e chylos. associado a sabor.


Mas. parece que a Alquimia nasceu no século 1 a.C. (alguns estudos ampliam esse período para os 3 últimos séculos antes de Cristo), tanto no Oriente (China) como no Ocidente (Alexandria). No Oriente a preocupação era com o "elixir da longevidade, enquanto no Ocidente era enfatizado o trabalho com os metais e minerais.


Podemos entender como uma ciência natural que representa uma tentativa de entendimento dos.fenômenos materiais na natureza” .
A ciência natural entendida como a manipulação de elementos tais como água, terra, pedra, animais e fogo. A matéria é muito mais ampla pois os povos primitivos já empregavam diversos materiais em seus rituais religiosos.


Alquimia era a técnica químico-mágica que, embora altamente desenvolvida, não era acompanhada de qualquer reflexão teórica, nem filosófica. Ao contrário, sua fundamentação era religiosa. Dessa maneira, parece que a Alquimia nasceu do casamento entre a filosofia racional da natureza dos gregos com a técnica químico-mágica da mumificação dos egípcios.


Por volta do século X, a Alquimia retomou à civilização ocidental através dos árabes e dos judeus na Espanha e na Sicilia e também, por meio das cruzadas. No Ocidente, entrou em contato com a filosofia escolástica e, mais uma vez. dois nomes são importantes: Alberto Magno. que preocupou-se com o aspecto técnico, e o autor de Aurora Consens, provavelmente Tomás de Aquino, que enfatizou o aspecto simbólico.
A queda da alquimia se dá no século XVIII, junto com todas as linhas místicas.

O alquimista é um MAGO, projeta suas percepções internas, seu mundo oculto em símbolos externos, transforma-os. É um jardim de especulações internas, na busca de um OURO – metal ou não. A busca do trabalho ANÁLOGO A D'us – CUIDADO COM A SUA BUSCA!!!!! NINGUEM É D'us ALEM D'ELE MESMO!!!

A busca das transformações na qual nos deparamos com o desmanche, um SUPORTAR o confronto com o inconsciente, que nos aprisiona. O Alquimista buscava abolir o confronto – dissociação que existe entre a luz e a escuridão ( consciente e inconsciente) – um fazer o caminho mais rápido. Um encontro com as forças invisíveis dentro de si.

Uma comunicação entre mundos – físico, psíquico e espiritual – que possibilita a transformação da origem, da pedra filosofal, a pedra que Jacó se encosta para dormir e que unge com óleo. Com isto o que o alquimista busca é a mudança de estado das coisas físicas, psíquicas e espirituais.

 

A busca é pelo mistério profundo da ligação química, descobrir e reduzir tudo ao seu elemento mais simples e mais “igual” aos demais, pois na origem tudo é o mesmo. Nesta redução-transformação pode-se chegar na união dos opostos, na religação (imagem do Unyo Mystica) ou DEVEKUT.

O propósito é descobrir a substancia milagrosa – transcendente, A CHAVE - o elixir da vida, encontrar a prima matéria para poder transforma-la na pedra filosofal, libertando o espírito encerrado, libertar D'us oculto, o poder interno – que é a transmutação do homem naquilo que há de mais autentico e melhor, essência – ouro. Para isto ele deve eliminar – purificar – as impurezas, chegar mais próximo da alma para ligar-se em D'us. Morrer e renascer, encarnar no útero, na cova para reencarnar – ressuscita.

O alquimista projeta seu mundo nos materiais para transformar o que vem de dentro e o que está dentro. Mergulha, com cuidado para não ser tomado pelo inconsciente, PELAS FORÇAS - assim busca a harmonia e a imaginação. É ela um extrato concentrado de forças e energias.

 

Buscar a alquimia é aprofundar-se na estrutura de tudo, seja física ou psíquica, é colocar em movimento acontecimentos misteriosos e abismais, dissolvendo a matéria em água. A cada experimento, a cada passo dado na vida o operador (VOCE), passa para tudo que está na sua volta as experiências psíquicas = processo químico.

Na alquimia o superior e o inferior, o interior e exterior estão vinculados, há uma identidade OCULTA. O que acontece no céu é duplicado aqui na terra.

SOBRE NÓS

Kabbalah é uma linha filosófica espiritual que irá transformar completamente a sua vida.

LOCALIZAÇÃO

51 3388-7799 | 51 99979.4345

Porto Alegre RS

contato@escoladekabbalah.com 

CONECTE-SE